I Fuck Everthing Up

|| ||

| Antes de começar eu queria dizer que esse texto é sobre como eu me sinto sobre determinadas coisas. Eu pensei muito antes de postar ele, e demais coisas que postarei no blog, mas isso faz parte da minha vida e esse blog é um reflexo dela. Não tenho intenção alguma de discutir sobre o assunto, uma vez que é extremamente delicado para mim.  Aviso dado, então é isto. |

Eu tentei durante muito, muito tempo não escrever isso diretamente aqui no blog ou em qualquer outra rede social. Não é difícil me ver compartilhando coisas sobre o quão horrível eu me sinto, e o quão magra me faria feliz ser. E depois de muito tempo, essa é a verdade:

Realmente, foi uma utopia acordar de repente com 60kg. Foi incrível, eu não podia me sentir melhor. Todas as roupas serviam em mim, eu tinha um pequeno vão entre minhas coxas que antes eram terrivelmente gordas, o meu cabelo estava grande, eu não tinha vontade de me afogar em comida, e felizmente tinha uma auto-estima do caralho. Do tipo que eu tinha vontade de ir para qualquer lugar, porque afinal de contas, ninguém ia estar me julgando internamente pelas minhas roupas largas e feias que tentavam esconder meu peso. Eu estava livre. Bom não totalmente, mas ainda assim livre. Eu me sentia bem. Minha bochecha estava fina na medida certa, minhas costelas apareciam, e mesmo de pé meu corpo parecia agradável. Eu até gostava de me olhar no banheiro antes de tomar banho...as clavículas estavam a mostra, meus seios tinham diminuido, minhas pernas não eram molengas. e meu pulso era tão fino. Cara eu estava vivendo um sonho. Porra, até as meias 7/8 serviam tão bem em mim. Cara eu até consegui beijar um garoto sem precisar estar numa festa saca. Eu fiquei com um garoto por meses. Sabe porque? Porque eu estava fodidamente bonita. Eu estava linda e eu sei muito bem disso. Eu finalmente era tudo que eu sempre quis ser, só que de repente eu acordei novamente. 

Acordei mais uma vez, pesando 86kg mais uma vez. Enorme, gorda. Eu nem me reconhecia no espelho. Minha pele estava acabada, minha sobrancelha parecia que nunca tinha visto uma pinça. Meu rosto cheio de espinha, manchas. Meu cabelo sem lavar por 7 dias, e que para que um pente entrasse nele, eu precisaria com certeza de muito condicionador para amaciar ele. Meus braços estavam gigantes e minhas coxas, que nojo. Eu tenho vontade de vomitar só de pensar nelas, e infelizmente eu tenho que conviver com isso todos os dias. Minhas unhas nem ao menos crescem sabe? E claro, perdi meu guarda-roupa novinho cheio de roupas numero 38 e P.

Sabe o que mais me irrita nessa merda toda, eu nem gosto de comer. Eu como por pura compulsão. Pra tentar tampar o vazio da realidade que um dia eu tive e não tenho mais. Sério, tem vezes que eu como que eu fico pensando qual a necessidade disso tudo, porque isso só me estraga cada dia mais. E isso é tão verdade que coisas que antes eu amava comer como chocolates, miojo e açaí, é apenas uma distração para a realidade de merda que eu estou tendo. É um inferno acordar todos os dias e se odiar, odiar seu rosto, odiar as fotos que tira de si mesma sem nenhuma maquiagem ou minutos a fora de edição para emagrecer e tentar disfarçar a merda que eu sou hoje em dia.

É um inferno odiar tocar o próprio corpo, e evitar se olhar no espelho até mesmo pra escovar os dentes. Eu não consigo me olhar por muito tempo, e eu me odeio tanto por isso. Principalmente porque eu tenho tudo que uma garota de 15/20 anos gostaria de ter: Eu tenho tantas roupas que nem sei por onde começar, devo ter mais de 60 pares de sapato, tenho um quarto pequeno porém com tudo que eu quero, tenho livros e mais livros, tenho um celular legal, tenho vários itens de papelaria, tenho inúmeras coisas dos cantores que eu gosto, tenho inteligência, absolutamente tudo que eu quero, eu me esforço e consigo, então porque caralhos eu não consigo pesar 60kg? Porque é tão difícil isso?? Eu estou cansada.

Eu estou cansada de comer tanta porcaria, de me odiar todos os dias que me vejo no espelho, de sentir meu coração doer por estar sobrecarregado, da minha ansiedade se elevando nos mais altos picos, e principalmente de ser novamente aquela pessoa que eu não sou. Sério, dói demais ouvir novamente coisas do tipo: "Vai comer de novo?", "Esquece, essa roupa não serve em você", "Serve?? Então experimenta pra eu ver", "Nossa mais você tá bem gorda mesmo". Eu odeio todas essas palavras, e principalmente odeio essa pessoa que eu sou agora.

Como eu disse eu tenho e com meu esforço consigo tudo que almejo, e nada disso me faz feliz. Eu me odeio, e nada a não ser a magreza preencheria esse vazio. E eu tenho total direito e consciência em dizer isso pois eu fui, muito, muito feliz mesmo. Eu fui tão feliz que hoje quando acordo e me olho no espelho fico pensando se todos aqueles dias que eu vivi não foram simplesmente um sonho, e infelizmente (ou felizmente), não foram. As fotos estão ai pra me provarem e assombrarem. E quando eu penso nisso tudo, fico pensando que o que eu quero é poder viver sem passar constantemente por momentos horríveis de ansiedade pra simplesmente escolher uma roupa, ou comer em público. Quero ter segurança pra poder me apresentar para as pessoas e para o mercado de trabalho. Não existe isso de se aceitar do jeito que sou pra mim, porque eu nunca fui assim por dentro. Não dá pra amar algo que você não é, seria como amar uma própria mentira, quando na primeira oportunidade (assim como já aconteceu), iria me culpar por tudo.

Ah, e para todos aqueles textos de auto-ajuda, e de amor próprio, eu quero que vão se ferrarem. Vocês são uns hipócritas do caralho, na primeira oportunidade atacam a pessoa. Tem tanta polêmica na internet mostrando como a galera "politicamente correta" também é toda fodida, que eu tenho que rir. É como eu li anteriormente: "Beleza não só põe a mesa, como também a casa toda e o mundo ao seus pés. Só parem de fingir que não".

E embora essa minha ultima frase tenha saído como "Oh meu deus, eu espero a aprovação do mundo", a principal aprovação que eu quero é a minha. Minha aprovação, minha aceitação, minha felicidade.

É isto.